Páginas

domingo, 13 de maio de 2007

Sgt. Pepper's: 40 anos


Sargeant Pepper Lonely Hearts Club Band, gravado pelos Beatles 1967 é considerado o melhor álbum de rock de todos os tempos.
Naquele ano, após quatro meses de "laboratório" nos estúdios da EMI em Abbey Road, Sargeant Pepper's caiu como uma bomba - não apenas na sociedade inglesa, mas no mundo inteiro.



Tudo começou em Nova Iorque, em 1964, quando os Beatles se encontraram com Bob Dylan. Já existia uma admiração mútua entre eles. Dylan, um músico essencialmente acústico, admirava as guitarras estridentes dos Beatles. Já estes últimos - especialmente John Lennon - admiravam as letras irônicas e socialmente conscientes de Dylan. Quando foram a Nova Iorque, Lennon pediu ao jornalista Al Aronowitz que o apresentasse a Dylan. Este encontrou-os no Hotel Delmonico, e foi logo oferecendo um cigarro de maconha aos Beatles, que até então só usavam anfetaminas para virar as noites tocando nos shows e consideravam maconha coisa pesada, restrita a vagabundos e músicos de jazz.


Dylan riu e acendeu o tal cigarro, passando-o para Lennon, que passou para Ringo Starr, que fumou tudo sozinho.




Ringo


Mais cigarros foram enrolados, muitas risadas ecoaram pelos corredores do Delmonico e muitas idéias foram trocadas naquela noite.Depois deste encontro lendário, Dylan adotou a guitarra elétrica, gerando álbuns fundamentais como Highway 61 Revisited (1965) e Blonde on Blonde (1966).



Bob Dylan


Já os Beatles começaram ali a abandonar o iê iê iê e os terninhos pretos, partindo para caminhos totalmente diferentes e revolucionários, gerando álbuns como Rubber Soul (1965) e Revolver (1966). Revolução que culminaria no mais ousado e extraordinário disco de todos os tempos: Sargeant Pepper's Lonely Hearts Club Band (1967), o LP que transformou o rock, até então considerado um gênero menor, em "grande arte".







Em 1966, os Beatles estavam exaustos. E de basicamente tudo: das fãs histéricas que não paravam de gritar e sequer ouviam a música, da agenda lotada de apresentações, da correria, das músicas ingênuas do início da carreira. Era hora de mudar, ou então seria o fim. Inspirado em uma bandinha de coreto, Paul McCartney surgiu, no final de 1966, com a música que seria o título do álbum, e foi logo sugerindo ao maestro George Martin, que produzia os discos dos Beatles desde seus primórdios, que fizessem um LP inteiro como se eles fossem a própria banda do Sargento Pimenta.
Martin se espantou com a proposta inusitada, mas encarou o desafio.




Paul McCartney com George Martin (o quinto Beatle)


É preciso lembrar que, naquela altura, Londres era um verdadeiro caleidoscópio de criatividade em praticamente todas as áreas, sendo aquele período lembrado até hoje como Swingin' London. A transgressão estava em toda parte: nas minissaias de Mary Quant, no movimento Free Cinema de Lindsay Anderson (If...) e Tony Richardson (A Taste of Honey) e nas figuras loucas que circulavam pela Carnaby Street, centro da psicodelia e de uma intensa vida noturna.

Mary Quant (primeira à direita)

Era a época dos Animals, de Eric Burdon e do Pink Floyd de Syd Barret, entre muitas outras bandas que marcaram a época.


.

Pink Floyd com Syd Barret (segundo da esquerda para direita)

Londres respirava psicodelia nos clubes, ruas e parques.Ainda assim e apesar de tudo isso, a capital inglesa ainda tinha características comuns à qualquer província, como uma classe média careta que achava tudo aquilo um absurdo - e as bandas de coreto que inspiraram Paul McCartney.

.


Todo esse momento histórico e suas contradições foram traduzidos pelos Beatles em Sargeant Peppers.


.

4 comentários:

Anônimo disse...

Walter, 10.

Mari

Walter Jr disse...

E você: 20 x 10...

Anônimo disse...

parece tudo muito bom, tudo muito bem, mas realmente as coisas não são simplesmente tão simples como descreve o texto. o buraco era muito mais embaixo do que parece supor nossa vã filosofia. a turma de liverpool estava no bagaço e as desavenças começavam a minar o grupo. sabe como é viver durante anos trancado em hotel como os mesmos caras. é enlouquecedor!a pimenta que ardia nos olhos era a vaidade.

Walter Jr disse...

Na mosca, anônimo! É exatamente isso. A saturação dos rapazes misturadas a uma penca de crises refletiriam nos próximos trabalhos. Estou preparando um novo post abordando essas noias...