Páginas

terça-feira, 23 de junho de 2009

Receita de Jornalista


Quitute Literário (ideal para ser saboreado em dias úteis, das 10 às 19horas)

Ingredientes
3.400 toques compostos por itens da língua portuguesa
1 pitada de criatividade
1 1/2 dose de bom censo
100% de conhecimento gramatical
1 lead fresco
1 título marcante
1 linha fina bem construída
2 ou 3 intertítulos curtos
3 aspas de impacto
1 furo
2 fontes
Gancho para dar liga
1 foto
1 foca para dar gosto

Modo de Preparo:

Atenção ao deadline, pois a matéria pode ficar fria.

Junte todos os ingredientes, misture tudo, separe o joio do trigo, seja imparcial, ouça sempre os dois lados e coloque tudo em papel manteiga.

Tenha certeza de que o texto foi bem mastigado e o repasse para o editor dar uns palpites.

Certifique-se de que você cumpriu seu papel: informar com idoneidade. Pronto. O próximo passo é emplacar sua matéria, para ter o prazer de abrir o jornal no dia seguinte e ver uma chamada logo na primeira página.
Saboreie a leitura com café preto, logo pela manhã.
DICA: NÃO ACEITE JABÁ E NÃO USE NARIZ DE CERA.




Eu sou a favor do diploma para o exercício da profissão de jornalista.
Os profissionais, estudantes de jornalismo e os cursos de comunicação não devem entrar em pânico com essa nova realidade.
O Ney Messias Jr, por exemplo, é formado em Educação Física. Eu jamais faria uma aula de ginástica tendo o Ney como professor, mas leio e gosto dos textos dele e assisto aos programas de TV que ele cria e produz. O Ney é um excelente jornalista.
O fim da exigência do diploma de jornalista pouco ou nada vai alterar a rotina na industria da comunicação (as sérias, claro!). A livre concorrência acalmara todos esses temores. O mercado continuará a exigir os melhores profissionais com ou sem diploma.

Os cursos de comunicação continuarão a ser o melhor lugar para quem quiser se preparar e aumentar suas chances de vencer no mercado.

A exceção ficará por conta de algumas assessorias de órgãos públicos onde políticos agasalharão um afilhado ou um parente “que leva jeito pra coisa e é de confiança”. Mas isso não se resolve com a exigência de diploma e sim votando com consciência.

No blog Espaço Aberto está rolando um debate interessante sobre o jornalismo com ou sem diploma.

2 comentários:

Bruna Martins disse...

Saudades de ter um blog! Época boa que eu ficava no top do seu! Beijões...

Prof. Gleison Lima disse...

Olha, sou formado em pedagogia, ja atuei em uma radio FM comunitaria como apresentador, no primeiro momento eu fiquei um pouco acanhado, sem muito oque falar, mas no segundo programa ja me senti em casa, creio que a não obrigatoriedade abre mais as portas para a profissão, porem muitas empresas de comunicação como as grande dará preferencia aos que possuem diploma, mas nao impede que eu possa disputar, uma vaga, tenho vontade de voltar à esse meio que é super interrresante e estimulante.