Páginas

quarta-feira, 13 de junho de 2007

Como vive o filho de Gilvam

Maria Joana Ferreira Barros entrou com uma ação na 3ª Vara da Família pedindo revisão de pensão de alimentos. Dona Joana tem um filho de dez anos com o senador Gilvam Pinheiro Borges, que recebe do pai R$ 350 mensais, resultado de um acordo feito sem a presença dela, representada por um advogado.

O menino foi criado até os seis anos sem ser reconhecido, o que só aconteceu por decisão judicial depois do teste de DNA. Ele não tem qualquer relação com o senador, que “paga a pensão quando quer”, protesta a mãe. Segundo ela, passam meses sem que receba, até que “um dia ele resolve e paga”.

Dona Joana não sabe o que a lei determina mas entende que diante da fortuna que o senador Gilvam Borges possui – o Renan tem vacas o Gilvam tem emissoras de rádio e televisão - a pensão alimentícia do filho deveria ser proporcional aos ganhos do pai.

Maria Joana vive com o menino, pagando aluguel de R$ 250 por mês e se sustenta com serviços de limpeza em residências e escritórios. Mesmo com pai milionário, o filho do senador Gilvam Borges não tem uma casa onde morar.

Corrêa Neto


Comentário do blog:

Além dos filhos fora do casamento, os senadores Gilvan e Renan têm muitas coisas em comum: ambos são do PMDB, estão envolvidos em estorias cabulosas e escândalos de corrupção. Ambos são protegidos do senador José Sarney, que praticamente escreveu o discurso de defesa de Renan e deu um mandato de senador a Gilvan. O leite consumido pelos dois é polêmico, enquanto Renan diz ter super vacas, Gilvan tem as super tetas do Amapá pra mamar. E mama sozinho. O filho que vá mamar na casa da mãe Joana.
.

2 comentários:

Anônimo disse...

Este tipo de situação demonstra como se encontra o Judiciário brasileiro, que intermedia um acordo de pensão alimentícia como este. Pior que o calhadorda do senador é o juiz que assinou este acordo.

Aline Brelaz

Walter Jr disse...

Aline, Este senador torna-se um verdadeiro anjo da guarda das crianças se comparado a halguns membros do nosso judiciário falido. Definitivamente a crise moral instalou-se no nosso país. Obrigado pela visita.