Páginas

quinta-feira, 2 de novembro de 2006

Estou Vivo!

Escrevi este poster pouco tempo depois de vencer um dos meus maiores desafios. Há dois anos vivi experiências que nunca mais vou esquecer e que mudaram a minha vida pra sempre..

No dia primeiro de novembro de 2004 fiz um transplante de fígado no hospital Albert Einstein.
A minha cirurgia durou cerca de 14 horas. Tive alguns problemas como a coagulação do sangue.
Um fato curioso: segundo a Dra. Ana Olga Mies, cirurgiã que comandou uma equipe de 16 pessoas, alguns órgãos que normalmente o ser humano tem em unidade, eu os tinha em dobro. A Veia Porta, que conduz o sangue ao fígado e uma válvula do coração eram duplas. Este caso raro dificultou a cirurgia.
O fígado retirado, após exames laboratoriais, mostrou uma falência de mais de 95 por cento de suas funções. A cirurgia foi feita na hora limite.
Minha recuperação tem surpreendido os médicos. Dos dez dias previstos para ficar na UTI, só fiquei dois. O processo de recuperação e reabilitação que começaria em 15 dias após cirurgia foi iniciado em apenas três São compostos de terapias para o garantir o bom, funcionamento do novo fígado, coração, pâncreas, pulmão, músculos, nervos, articulações...
Devo admitir que não tenho conseguido dormir ainda à noite devido aos efeitos colaterais dos remédios, mas sou assistido por equipe composta de mais 70 profissionais. Que profissionais! Além de parecer um hotel 5 estrelas, o hospital Albert Einstein se parece também com uma colônia de férias. O excelente atendimento, as gentilezas e o alto astral da equipe contagia a gente e nos da força para superar qualquer tipo de problema.
Minha rotina começa as cinco da manha com a coleta de sangue para uma bateria de exames. Em seguida tomo a medicação, composta de imunossupressores e outras drogas que garantem o combate à rejeição e estímulo ao funcionamento de outros órgãos. Às 6 horas sou pesado e vou para o banho. Às sete horas é feita a troca de curativos e sou liberado para o café da manhã. Em seguida são feitas outras medições, tipo checagem de pressão, controle de glicemia, temperatura. As oito têm consulta médica, em seguida entra a fisioterapia muscular. Sou levado a uma academia no décimo andar onde faço, com ajuda de um terapeuta, exercícios de alongamentos, levantamento de peso, caminhadas, etc... Ao voltar faço um lanche. Às dez horas são realizadas novas medições. Depois vêm os exames radiográficos, eletros, ultra-som. Volto para o almoço. Logo após faço mais uma caminhada, novas medições e sou liberado até as 16 horas. Aí posso assistir TV a cabo no apartamento, lê, dormir... Como não há restrições a visitas, a não ser quanto ao estado de saúde do visitante, o quarto esta sempre com muita gente. Às 16 horas tem fisioterapias pulmonares, acompanhadas por uma eficiente e lindíssima terapeuta. Depois vêm novas medições, um lanche, medicamentos...
Às 18 horas é servido o jantar. Depois faço uma caminhada de dez minutos aí fico livre até o lanche das 21 horas. A dieta que no inicio consistia apenas de chás e gelatinas foi suspensa. Faço cerca de doze refeições por dias e continuo perdendo peso. A única restrição e a do sal. Mesmo assim tenho direito a dois gramas durante 24 horas. Estou passando por uma reeducação alimentar para comer toda a variedade de saladas. A comida aqui é divina. Cada refeição sempre vem um ou mais tipos de sucos, doces (após a restrição), água de coco, frango, carne bovina, salmão, sopas, vitaminas e frutas cruas e cozidas, bolachas, pães...
Devo receber alta neste final de semana. Continuarei na clínica fazendo exames, terapias, consulta médica, 3 vezes por semana. Minhas restrições neste primeiro mês são de evitar lugares onde haja muitas pessoas e exposição ao sol. Minha resistência estará muito baixa. Uma gripe pode ser fatal.
Obrigado pela força

3 comentários:

Anônimo disse...

Realmente a vida é uma maravilha Walter...mas deixei esse coment só pra vc ficar feliz. É muito escroto lerem nosso blog e saírem que nem tucano com a fita amarrada na boca. kkkkk! (Chico Terra)

Walter Jr disse...

Parabéns Chico. Parabéns pelos seis anos de luta pela informação. A Amazônia deve muito pra você...Um grande abraço! Este espaço é seu...

maia disse...

Não sabia de sua luta ! Você é um vencedor! Meu irmão fez o transplante e não teve a mesma sorte. Aproveite cada minuto de sua vida. Quando Deus permite nossa permanência, é porque merecemos.